Atendimento: (11) 3652-0381 / (11) 99241-5817

Pterígio

O pterígio é uma membrana fibro-vascular que cresce sobre a córnea. É popularmente chamado de “carne esponjosa” ou equivocadamente de “catarata”. Esta membrana, em geral invade a córnea a partir da esclera (parte branca do olho).

Sintomas

  • Irritação
  • Vermelhidão
  • Ardência
  • Coceira
  • Sensação de cisco no olho
  • Sensibilidade à luminosidade
  • Piora da visão por causar astigmatismo ou cobrir o eixo da visão

Causas

  • Fatores genéticos
  • Clima seco
  • Exposição ao sol, vento poeira, etc
  • Exposição a produtos químicos
  • Traumatismo na superfície ocular (Nestes casos a membrana costuma ser chamada de pseudo-pterígio, já que na verdade é uma reação da conjuntiva adjacente ao trauma)

Tratamento

O uso de colírios pode ser usado para o alívio da dor e da irritação, porém não é suficiente para acabar com o pterígio.

Por isso, a melhor forma de tratamento do pterígio é a cirurgia.

Existem 2 técnicas principais:

1. Exérese com enxerto conjuntival (também conhecida como técnica do transplante e conjuntiva): Faz-se a retirada do pterígio. Então, retira-se tecido conjuntival sadio do próprio olho e coloca na área onde foi retirada a membrana fibro-elástica.

O transplante de conjuntiva visa recobrir o local da lesão, diminuindo o risco de retorno do pterígio, que mesmo assim pode acontecer.

Para tal efeito podem-se utilizar suturas (pontos) ou adesivos teciduais (cola).

A vantagem do adesivo tecidual é melhor aspecto estético, maior conforto no pós-operatório, menor inflamação e não há necessidade de retirada de suturas.

2. Exérese com aplicação de mitomicina: É um método bastante eficaz, com taxas de recorrências bem baixas.

A mitomicina é um agente antimitótico, diminuindo a resposta fibrovascular e diminuindo a recorrência do pterígio.

A cirurgia é rápida e não há necessidade de pontos.

Faz-se a retirada do pterígio e aplica-se o medicamento por alguns segundos.

Preencha o formulario abaixo para mais informações